Terapia Hormonal Para Transexuais Femininos

medico-paciente

Olá, Boa tarde! Bom como prometido estou postando uma informação, que eu não desejaria postar. Se trata de um cronograma de tratamento hormonal para mulheres transexuais que tiveram seu pedido recusado por médicos, e o mesmo é recomendo como um guia para profissionais da saúde, quanto a melhor forma de se realizar o tratamento hormonal e que medicamentos utilizar. Mas, mais importante que isto é que você sempre siga orientações médicas e não se automedique, pois os medicamentos contidos e indicados neste post, são na realidade usados para o tratamento de câncer, a interrupção ou ingestão com outros medicamentos pode levar a danos graves a saúde mental e física. E ainda vale lembrar que cada corpo reagira de uma certa forma aos medicamentos, então não se deve esperar mudanças drásticas de um para o outro.
TRATAMENTO HORMONAL PARA TRANSEXUAIS FEMININOS
CUIDADOS INICIAS

Na terapia hormonal, o corpo se modifica e junto dele, a cabeça da pessoa. Além disso, ocorre muita depressão caso os remédios não sejam bem utilizados ou administrados. O ideal é o acompanhamento de um médico, por isso, essa pagina se propõe apenas ser uma base de referência para endocrinologistas ou pessoas que tenham seu tratamento hormonal recusado por médicos que negaram atendimento a pessoas com disforia de gênero. Mas antes de começar, é crucial estar sobre acompanhamento terapêutico de um psicólogo.

A terapia hormonal depende da operação de transgenitalização, pois a castração química feita por muitos anos pode gerar problemas hepáticos e lesões hepáticas graves ou até irreversíveis para o resto da vida.
É essencial, como já dito, o acompanhamento psicológico, no mínimo, e acompanhamento endocrinológico também. Psicólogos, ao contrário de endocrinologistas, são mais fáceis de se encontrar pra cuidar de transexualidade.

É essencial também reservar uma renda mensal para essa medicação, e é fundamental um controle muito rígido na utilização desses remédios, pois as drogas utilizadas são remédios contra cancer, pressão alta, hirsutismo severo etc. Remédio mata! È preciso toda cautela do mundo com isso, e qualquer deslize gera trombose e morte posterior.

CASO O PACIENTE APRESENTE VARIAÇÃO DE PRESSÃO, CASOS ANTERIORES DE HEPATITE OU DOENÇAS HEPÁTICAS, DERRAMES OU TROMBOSES, ESSES REMÉDIOS ESTÃO PROIBIDOS SOB RISCO DE MORTE.

Por fim, o site nao deseja induzir a auto-medicação, que é perigosa e letal. O site pretente apenas apresentar o tratamento para as pessoas que desejem conhecer melhor os tratamentos mais eficazes na mudança de sexo.
PRINCÍPIOS DA TERAPIA HORMONAL
Em princípio existem vários tipos de terapia, cada qual para uma idade da pessoa. Os tratamentos para jovens antes dos 18, e para adultos após os 35 são um pouco diferentes, e nesses casos, somente um médico poderá ajustar o tratamento, pois a terapia para adolescentes e pessoas depois dos 35 sofre muita variação, sendo portanto diferente e mais específica para funcionar completamente. No entanto, apesar dessas variações, se aplicam os mesmos remédios, apenas variando-se a dosagem padrão.

Na terapia MTF são usados necessariamente três tipos de medicamentos mais os complementos vitamínicos:

1 Antiandrógeno Responsável pela castração química (inibição da produção ou eliminação de testosterona), que gera menor intensidade nos pelos androgeno dependentes e caracretísticas secundárias femininas, além de esterilidade
2 Progestogênio Responsável pela maturação da glãndula mamária e seios, além de ser possivelmente atuante como fator anti-carcinogênico na utilização do estrogênio
3 Estrogênio Responsável pela redistribuição de gordura, maturação dos seios, clareamento da pele e outras características secundárias femininas

Como complementos, devem ser usados aqueles que possuem vitamina B12, ácido fólico e ferro. Dosagens:

ÁCIDO FÓLICO 1 a 2 mg por dia
VITAMINA B12 em torno de 5 mcg por dia
FERRO 10 a 15 mg por dia

Atenção: Cada um desses remédios DEVE ser usado, pois a castração química é muito importante na mudança física do corpo. A progesterona deve ser utilizada para se evitar possibilidades posteriores de tumores de mama. E o complemento é fundamental para o crescimento ideal dos seios, redistribuição de gordura e assimilação metabólica do estrogênio.

FUNCIONALIDADE DA TERAPIA HORMONAL

O melhor tratamento, com as mudanças mais profundas, é obtido quando o paciente tem entre 18 e 28 anos, não sendo tão profundas quanto se começado até 38, e menos ainda após os 48. Sobre o tratamento, ele é totalmente reversível até os primeiros quatro meses, e depois desse tempo, começa a se tornar irreversível. Os efeitos da mudança física podem ser sentidos em grande maioria nos primeiros dois anos, quando a quase totalidade das mudanças pode ser notada, e termina em 5 anos, quando as mudanças físicas se completam, e praticamente mais nenhuma alteração pode ser notada. A utilização dos hormônios é para a vida toda, mesmo depois de ser operar, no entanto, após a cirurgia, os níveis são diminuídos dramaticamente.

O TRATAMENTO HORMONAL GERA
01- diminuição da fertilidade até a esterilidade completa

02- diminuição do tamanho do pênis
03- aumento gradual dos seios
04- redistribução de gordura para regiões tipicamente femininas
05- mudança metabólica nos pelos. o crescimento de pelos no corpo se torna mais lento, e os pelos podem se tornar ligeiramente mais claros ou menos intensos.
06- diminuição do metabolismo corporal pela perda de massa muscular, gerando mais dificuldade em emagrecer
07- mudanças na epiderme. a pele se torna mais clara e fina, e a sensibilidade ao toque aumenta ligeiramente
08- mudança nos odores corporais . na urina e na pele
09- amplificação das emoções, tornando a pessoa mais sucetível a descargas emocionais, choros e outros sentimentos
10- atuação menor das glândulas sudoríparas, gerando menos suor
O TRATAMENTO HORMONAL NÃO GERA
01- mudança na voz ou Pitch vocal.

02- redução dramática dos pelos faciais

03- mudança no formato ou tamanho da ossatura do corpo
04- mudança no tamanho do pomo-de-adão
05- diminuição do tamanho dos pés, mãos e ombros
ADMINISTRAÇÃO DOS HORMÔNIOS

Sobre a administração dos hormônios, é sabido que os melhores são os hormônios injetáveis, na medida em que eles tem apenas uma passagem pelo fígado, sendo metabolizados sem maiores problemas pelo organismo e gerando menos feitos colaterais. No entanto, os hormônios administrados via intramuscular (injetáveis) geram muito desequilíbrio no balanço sérico, e acredito que a melhor utilização seja um tipo de hormônio injetável associado a um hormônio oral diário, evitando mudanças hormonais drásticas.

O início do tratamento leva em conta a ADMINSITRAÇÃO das MENORES DOSES dos hormônios e antiandrógenos, que depois aumentam GRADATIVAMENTE com o tempo até chegar a dose-padrão. Isso é muito importante para evitar tromboses, embolias, desmaios, avitaminoses e depressão profunda.

O primeiro a ser administrado é o antiandrogênio, seguido da progesterona e estrogênio. Numa segunda etapa, administra-se o segundo estrogênio via intramuscular (injetável), transdérmico ou oral (não muito recomendado como segundo estrogênio).

Primeiros dois meses Administração de um antiandrógeno
Terceiro a quarto mês Administração de um progestogênio, do primeiro estrogênio e do complemento vitamínico
quinto mês em diante Administração de um segundo estrogênio

Essa ordem deve ser rigorosamente seguida, sob risco de causar problemas graves de saúde.
DIVERSOS TIPOS E DOSAGENS DOS HORMÔNIOS PARA TRANSEXUAIS NÃO OPERADAS

TIPOS DE ANTIANDRÓGENOS

Droga Nome Comercial BULA Segurança Eficácia Administração Dosagem Inicial Recomendada Dosagem Padrão
espironolactona Aldactone AQUI exelente boa oral 50 mg /dia 100 a 200 mg /dia
finasterida Finasterida excelente boa oral 1 mg /dia 1 a 5 mg /dia
acetato de ciproterona Androcur AQUI ruim excelente oral variável variável
* Flutamida (Eulexin) não serve para tratamento de transexuais devido a sua hepatotoxicidade ser muito alta e por interferir na assimilação de estrogênios.

TIPOS DE PROGESTERONAS

Droga Nome Comercial BULA Segurança Eficácia Administração Dosagem Inicial Recomendada Dosagem Padrão
acetato de medroxyprogesterona Cycrin, Provera
AQUI
médio variável oral 2,5 mg /10 dias no mês 5 a 10 mg /10 dias no mês
*Depo-provera é o nome comercial de um progestogênio a base de acetato de medroxyprogesterona, injetável. como o provera oral é avaliável, desaconselho a injeção visto alguns casos ocorridos de mal estar pelo uso intradérmico.

TIPOS DE ESTROGÊNIOS

Droga Nome Comercial BULA Segurança Eficácia Administração Dosagem Inicial Recomendada Dosagem Padrão
17-beta estradiol Hormodose Gel AQUI excelente excelente transdermico 2 doses do disparador /dia 2 doses do disparador /dia
valerato de estradiol
Elamax,
Climene,
Cicloprimogyna
bom excelente oral 2 mg / dia 4 a 6 mg /dia
valerato de estradiol Gestadinona AQUI bom excelente injeção 1 /mês 2 a 4 /mês
enantato de estradiol Perlutan AQUI bom excelente injeção 1 /mês 2 /mês
* Qualquer outro anticoncepcional a base de etinilestradiol (Diane35) ou estrognênios cunjugados (Premarin, Premelle) NÃO SÃO RECOMENDADOS por não serem eficientes.

O Tratamento básico de muitos institutos europeus e norte-americanos priorizam algumas drogas que são ótimas devido a um baixo risco e uma alta eficácia.
Como ANTIANDRÓGENO, são usados: ESPIRONOLACTONA em conjunto com FINASTERIDA.

Como PROGESTOGÊNIO, usa-se o ACETATO DE MEDROXYPROGESTERONA, e
COMO ESTROGÊNIO, usa-se ESTRADIOL NATURAL, 17-BETA ESTRADIOL OU VALERATO DE ESTRADIOL.

 

MESES DROGAS E DOSAGEM
primeiro mês
– 50 mg de aldactone diário + 1 mg finasterida
– nenhum progestogênio
– nenhum estrogênio
– complemento vitamínico diário
segundo mês
– 100 mg de aldactone diário+ 2 mg finasterida
– nenhum progestogênio
– nenhum estrogênio
– complemento vitamínico diário
terceiro mês
– 100 mg de aldactone diário+ 2 mg finasterida
– 2,5 mg diários de cycrin durante 10 dias no mês
– 2 mg de cicloprimogyna ou elamax diário
– complemento vitamínico diário
quarto mês
– 150 mg de aldactone diário+ 3 mg finasterida
– 2,5 mg diários de cycrin durante 10 dias no mês
– 2 mg de cicloprimogyna ou elamax diário
– complemento vitamínico diário
quinto mês
– 150 mg de aldactone diário+ 3 mg finasterida
– 5 mg diários de cycrin durante 10 dias no mês
– 4 mg de cicloprimogyna ou elamax diário
– 1 dose diária do disparador de hormodose gel
– complemento vitamínico diário
sexto mês
– 200 mg de aldactone diário+ 4 mg finasterida
– 5 mg diários de cycrin durante 10 dias no mês
– 4 mg de cicloprimogyna ou elamax diário
– 2 doses diárias do disparador de hormodose gel
– complemento vitamínico diário
sétimo mês
– 200 mg de aldactone diário+ 5 mg finasterida
– 10 mg diários de cycrin durante 10 dias no mês
– 6 mg de cicloprimogyna ou elamax diário
– 2 a 3 doses diárias do disparador de hormodose gel
– complemento vitamínico diário
oitavo mês
em diante
manter dose do sétimo mês sempre!

Essa tabela deve ser seguida exatamente como foi descrito. Não se deve aumentar as doses ou modificá-las. Caso o médico opte por outra medicação ou hormonios injetáveis, este deve ser esolhido com muito critério.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s